13 de agosto de 2009

Angustias, medos, conflitos na Gravidez

Todas nós que passamos por uma gravidez sabe o que se passa na nossa cabeça.
Medo da responsabilidade, de como educar, de como ficará nossa carreira, medo na verdade de "não dar conta do recado".
Nesses poucos anos como mãe o que posso dizer é que esse medo não acaba, ele muda.
Piorei tudo? Rs
Temos medo por exemplo da febre aumentar muito quanto está doente passando a madrugada acordada ao seu lado de vigilia.

No dia seguinte a criança acorda querendo brincar, pular e a gente querendo uma cama.

Teremos medo deles não se adptarem bem na escolinha.

Ele te dará tchau e correrá para a tia. Você ficará na porta chorando se sentindo abandonada.

E sempre ficará a dúvida se estamos agindo certo.

Esses conflitos de mãe estarão presentes sempre. E não se engane.
Por mais que se estude, leia, se informe, planeje, você irá errar!

E se sentirá culpada por isso.

Isso porque você é humana, tem seus limites, mas tem o desejo de ser a mãe perfeita para o seu filho.

E você será. Para o seu filho você será perfeita. Com os seus erros e acertos.
Uma prova disso é que a gente passa a ver a nossa mãe como uma mulher maravilhosa que antes não percebia.


Sua vida nunca mais será a mesma.

Suas preocupações serão outras.

Seu tempo será muito mais reduzido, e irá até mesmo esquecer de cuidar de você mesma.

Sua vida a partir de agora deixará de ser "eu".
Passa a ser "nós", independente de ter um homem ou não na sua cama.

Suas preocupações agora serão direcionadas a dar um Futuro maravilhoso para ele e um Presente divertido.
Você descobrirá que uma unha bem feita não tem tanta importância assim quando o seu filho te chama para fazer buracos na areia.

E irá aprender que aquele brinquedo caro que você comprou não é tão legal quanto uma caixa de papelão e uma colher de pau.

Mandará a responsabilidade profissional plantar batatas quando o seu filho quer brincar com você e o cliente ligar para o seu celular.

A maternidade passou longe de ser o paraíso.

Amamentar no começo pode ser difícil.

Seu bebê pode ter cólicas.


As crianças não todas iguais então não adianta comparar com o filho do vizinho.

Descobrirá que os livros pedagógicos nem sempre tem razão e o pediatra não terá resposta para tudo.

Uma coisa é certa: A gravidez passa muito rápido!

Curta o máximo, se divirta em ver o bebê se mexendo, converse muito com ele.

Cuide bem de você, relaxe o máximo que puder.


Quando você colocar a mão na barriga e sentir ela vazia na sala de parto poderá bater uma saudade danada, um vazio.

Mas quando entregarem seu filho e ele parar de chorar só pelo fato de estar perto de você e ouvir sua voz, terá consciencia do seu poder de mãe.

Esse post é dedicado a uma amiga que está no 4o mês de gravidez,
realizando seu sonho a tanto tempo desejado :) e para todas barrigudas!
Parabéns Neia!

2 comentários:

Cynthia disse...

Ah!
Esse texto me inspirou...
posso deixar meu depoimento??

Na verdade eu ainda não me preocupo se vou ou não ser boa mãe... com o Arthur passei a ser imediatista, vivo o agora... por que? Não sei. Talvez por uma simples falta de tempo pra pensar no amanhã...ehehehe
Minha gravidez passou muito rápido, mas rápido mesmo. Quando paro, penso: "nossa, parece que foi ontem que descobri a gravidez"...na verdade, não sinto falta da barriga, prefiro mil vezes tê-lo aqui, no meu colo, enchendo-o de beijos, ou deixando ele sugar minha bochecha, numa tentativa molhada (e estabanada...ahahaha)de me dar um beijo, ou virando do avesso em cima da minha cama... eu tive medo sim, mas só na véspera do naacimento dele... eu pensava: "Meu Deus, e agora? Como vou fazer a partir de amanhã, com meu bebê finalmente uma realidade? Vou saber segurá-lo? Vou ter paciência? Vou saber cuidar dele?" E quando o peguei pela primeira vez, algo mudou dentro de mim. Parecia que eu já sabia fazer tudo desde tempos imemoriais... é tão fácil pegar no colo, dar banho, trocar a fralda, trocar de roupa... até dar o peito, apesar de complicado (sim, amamentar dói, amamentar dá sono, amamentar dá uma sede danada, o leite vaza, você perde roupas à vontade...ahahahha), é fácil...parece que a gente nasceu pra isso... e nascemos mesmo! Parece que está nos genes, só esperando o "gatilho" pra começar a funcionar!
"A maternidade passou longe de ser o paraíso" - sem querer assustar as que "estão na estrada" e aliviada por poder falar sobre isso abertamente, sem culpas, eu concordo em gênero, número e grau. Eu não sabia o que era um bebê chorar por horas a fio sem haver nada que o consolasse... eu não sabia que um bebê pode ficar o dia todo tirando sonecas de 15-20 minutos e eu, depois de uma noite acordando de 2 em 2 horas pra dar o peito, não conseguir dormir nem um minutinho durante o dia... eu não sabia que um comentário sem maldade do marido, do tipo "fique calma" poderia me levar até a Lua em 2 segundos...eheheheh
por outro lado, quando seu anjo dorme deliciosamente no seu colo mamando no peito,lhe sorri pela primeira vez, aperta suas bochechas e, mesmo quando ele lhe chama às 5h da manhã e te recebe com um sorrisão no quarto, você percebe o quanto é maravilhoso ser Mãe (sim, com "M" maiúsculo, Mãe no sentido literal da palavra,o amor pulsando em cada célula de seu corpo), o quanto é maravilhoso ficar sem dormir (é? ahuhauhua), só namorando aquele pacotinho que dorme tranquilamente no berço e agradecendo a cada minuto pelo milagre que Deus nos deu...
Sim, ser Mãe é ser Poderosa, é ser mulher (mesmo descabelada, com olheiras e com as unhas um bagaço), ser Mãe é... ser Mãe!!!
Beijão!

Ana disse...

Claro que pode!
Aqui é para isso mesmo, trocar experiências ;)
Beijos!

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Premium Wordpress Themes