8 de abril de 2011

Maternidade Real - Blogagem Coletiva

Quem criou essa blogagem foi a Carol do Blog Vinhos, viagens, uma vida comum...e dois Bebês!
Tema: "A idéia é falar um pouco de como a experiência é diferente da teoria, de como a vida real é diferente da idealizada. E que não há nenhum problema nisso!"
 Então vamos lá.

Você cresceu vendo aquela propaganda do bebê Johnson todo fofinho, sorridente, calminho que adora tomar um banho, limpar as orelhas e dorme rapidinho assim que é passado o óleo e feito uma massagem.
Você vê campanhas de amamentação, aquela mãe com um ar sereno e o filho calmamente no peito.
Lê nas revistas aquela atriz que após 2 semanas do parto ela já está fazendo exercicios e já está sem barriga!

Tudo lindo, perfeito né?
Mas a vida real pode ser bem diferente.

Seu bebê pode ter cólicas, chorar por 4 horas seguidas, detestar a hora do banho.
Seu leite pode demorar a descer, o bico rachar, poderá sentir dor ou não conseguir amamentar como desejava.
Com isso você pode ter um descontrole total do seu dia, esquecer de tomar café, almoçar 3 colheres antes dele acordar, dormir só 4 horas por noite.
Lavar o cabelo poderá ser como um prêmio - 20 minutos para um banho! Iça!

Mas mesmo assim, você terá nos braços o bem mais precioso que poderia ter.
Mesmo assim ele irá te amar e irá olhar para você de uma maneira que esquecerá de tudo isso.

Nós mães não planejamos fracassar, não planejamos que não seja dado o melhor para nossos filhos.
Cada uma tem seus sonhos, seus desejos, sua realidade, suas limitações, seus limites.
Por isso julgá-la por causa do parto, julgá-la pelo tempo que amamentou é não compreender que não somos todas iguais, mas todas queremos fazer o nosso melhor.
Se a mãe sente necessidade de trabalhar, de seguir na sua carreira profissional não significa que irá amar menos os seus filhos, que será relapsa, que seu filho terá menos amor.
E também aquela que escolhe ficar em casa, não trabalhar fora tem que ser respeitada.
Mesmo que seja dificil compreender e que considere um absurdo hoje uma mulher ser sustentada pelo seu marido, ou que faça trabalhos manuais em casa. Se é assim que ela é feliz por que incomoda tanto?
Agora seja trabalhando fora ou seja dona de casa, se ela não está feliz, não precisa de julgamentos.
Mas de compreensão e apoio emocional.

Isto é respeitar as diferenças, é ser tolerante.
São justamente as duas coisas que faltam muito no mundo de hoje.
E é a causa de muito sofrimento, muita violência.

*Gostaria de ter feito um texto melhor.
Mas realmente fiquei muito abalada, triste com a tragédia na escola municipal de Realengo no Rio.
Estou mais sentimentos do que palavras.

27 comentários:

disse...

è amiga.. isso è sonho.. nao è nada dq se prega na televisao!

a vida real e outra coisa! mto legal essa materia .. achei otimo!

beijinhos

Carol Garcia disse...

pois é...
ms graças a deus vivemos a vida real e não em cartazes ou propagandas...
bjo bjo bjo

Li disse...

Concordo com você!!!
Que bom que somos reais e diferentes umas das outras. Seria muito entediante a vida se fossemos todas iguais e se nossos filhos vivessem todos os dias da mesma maneira sem dar nadinha de trabalho, não é?

Também postei sobre o assunto. Passe por lá para dar uma olhada!

Beijos de mãe para mãe!

Lívia.

Mi Satake disse...

AMiga, perfeito seu texto, espcialmente pq ressaltou essa questão do respeito às escolhas!

Adorei trocar com vcs!

Super beijo
Mi

Ivana (Coisa de mãe) disse...

Vocês disse tudo: temos de respeitar as diferenças. Julgar o outro é tão fácil, né? E quem o faz normalmente engana a si próprio.

Excelente texto!

Tô triste tb pela tragédia no Rio. Sem comentários. Resta-nos orar.

Bjos

Mônica disse...

Ana,
Importante mesmo é a tolerância o respeito pelas escolhas alheias. Adorei seu texto.
Bjs da novata por aqui.
Mônica

Mirys + Guigo + Nina disse...

Olá!
Também estamos fazendo parte dessa blogagem!

A nossa participação tá aqui ó:
http://diariodos3mosqueteiros.blogspot.com/2011/04/maternidade-real-mae-pode-querer-ser.html

Bjos e bençãos.
Mirys

Nine disse...

Acho que essa blogagem nos tornou mais próximas nas dificuldades, porque de todos os textos que eu li não vi nenhum dizendo que a maternidade era fácil e que estava super bem resolvida.

A distência entre a teoria e a prática é grande e por isso é como vc disse, precisamos respeitar as diferenças, porque cada uma de nós tenta fazer o melhor.

Beijos,
Nine

Tays Rocha disse...

Adorei seu texto, é bem por aí ;o) Em outra blogagem coletiva que postei hoje, falei um pouco sobre isso, de como a decisão de ficar em casa foi difícil prá mim, mas hj sou muito feliz e realizada em ambos os aspectos. Também estou triste com a tragédia, meu coração ficou oprimido aqui ;o( Beijocas ♥

Naiara Krauspenhar disse...

A realidade é bem diferente da ficção né?
Não menos prazerosa, mas bem diferente, cheia de percalços.

Essa blogagem, no meu ponto de vista, prestou um serviço a nos mães. Que nos livramos da vergonha e assumimos nossas falhas e fraquezas.
Derrepente a blogosfera me parece mais humana, não é mesmo?

Conheci seu blog hoje, e voltarei sempre. BJos

Fabiana disse...

O bacana da blogosfera é poder ver o tanto de mães que estão embuídas nesse projeto, único, especial e de responsabilidade tamanha (e assustadora, às vezes) de formar e educar uma criança com MUITO amor. Meu coração infla desse amor a cada blog que visito e a cada blog que conheço. Ver tantas mulheres, mães, conectadas a esse desejo de formar - da melhor maneira possível - suas crias para o mundo me faz crer num futuro de pessoas cada vez mais gentis, solidárias e verdadeiras.
Beijos

Fabiana
http://2-ao-quadrado.blogspot.com

Mirys disse...

Ana:

Sobre seu texto: a parte sobre lavar os cabelos foi a melhor!!! Iça!!!!

Sobre o RJ: sem comentários... oremos.

Bjos e bençãos.
Mirys
www.diariodos3mosqueteiros.blogspot.com

Aninha disse...

Xará! Simplesmente amei seu texto! Disse tudo que a gente tem guardado e às vezes não sabe expressar...
:)
Fale sempre com o coração! rs
bjs

Micheli disse...

Oi, Ana!
É isso mesmo. O respeito vem em primeiro lugar. E cada um sabe de si. A propaganda e os "manuais" que se vendem como o ideal para um bebê estão muito longe da realidade de cada mãe.
No meu post conto como na real, eu nem tive tempo nos primeiros meses de pensar muito se era assim ou assado que tinha de ser. Não tive licença maternidade, não imaginei que a correria com um bebê seria tanta... Eu não sou uma mãe que largou totalmente a carreira, nem aquela que passa o dia todo fora de casa. Tento trabalhar um pouco e cuidar da pequena muito mais. Isso implica sacrifícios... E isso é maternidade real, não é?
Cada mãe com suas escolhas, suas realidades, mas com seu amor incondicional.
Beijo grande!

Angi disse...

Oiii
ótimo teu texto,adorei!
desculpa, q tb estou com nó na garganta da tragédia do rio!
beijos flor

Paty Fortunato disse...

Pura realidade!! Ótimo post!!

Ser mãe é se permitir sentir dor e lidar com isso, e ensinar com isso tb…

Amiga, eu tb fiquei mto abalada com a tragédia no Rio. Triste demais.

Lua Ugalde disse...

Lindo seu texto!!Realmente, é necessário mto apoio e respeito entre as mães e não criticas.

Eu tbm postei algo lá no blog,nada mto elaborado pois não tive tempo pra pensar direito enquanto escrevia...mas o que vale é a intenção, né?!rsrrsrs
Bjos, sempre adoro ler seus post.

www.devaneioslunares.blogspot.com

selma pereira disse...

Lindo texto Amiga, disse a verdade pois na vida as coisas nem sempre são belas como gostaríamos, mas somos mães do nosso jeito, e isso basta para nossos filhos.

Bjs.
Selma

Mon Maternité disse...

Como é bom saber que não sou a única que passou aperto no início da maternidade, ufa! As vezes a gente acha que somos a excessão de uma regra tão chata!

Adorei o texto, a colocação e saber que a maioria das mães tem carne, osso e cabelo sem lavar!

Parabéns!
Beijos,
Marcella

www.monmaternite.blogspot.com

Ana disse...

Que bom que gostaram meninas!
Uma beijoca em casa uma!

Kcau-Coisa de Garotos disse...

Ui! Como a vida é diferente das revistas!!! Até hoje eu ainda sou um panda e especialmente hoje, um panda dolorido. *rs
Gostei!
Bjos

♥Rose♥ disse...

Obrigada Aninha...me senti abraçada por ti....
Ainda dói...e doí muito...adorava aquela menina....
Besso

Fabiana disse...

M enina,
realmente muito diferente:
vida real x teoria.
fico impressionada como essas maes voltam ao corpo rapidinho, desmamam rapido,viajam sem os filhos.aff!
tudo tão diferente...
Compartilho com vc o fato de estar abalada,penso que isso cada vez mais serve para que aconteca os dialogos entre maes e filhos.
bj
boa semana amiga.

Simone disse...

Ótimo post, Ana.

Bjs!!

Geovana Centeno disse...

Ai Ana parabens pelo post, disse tudo, a vida de mãe não é só glamour como parece nos sites, revistas e na tv, tem muita mentira nisso e sabemos o quanto.
beijocas no filhote e em vc.

Chris Ferreira disse...

Oi Ana,
andei meio desconectada por uns dias e perdi essa blogagem coletiva que foi um sucesso.
Seu texto está lindo, não precisava escrever melhor.
Ainda bem que eu fiz um curso de gestante que me alertou para os primeiros dias da maternidade. Me informou que o que víamos na TV não era bem assim que acontecia.
Já estava meio preparada para a barra pesada que é esse deliciosa maternidade.
beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com/

Marusia disse...

"Nós mães não planejamos fracassar, não planejamos que não seja dado o melhor para nossos filhos." Adorei isso!
Um beijo,
Marusia
http://maeperfeita.wordpress.com/

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Premium Wordpress Themes